Planejamento de marketing digital: como desenvolver sua estratégia

Plano de marketing digital: como desenvolver sua estratégia

Desenvolver um planejamento de marketing digital não é uma tarefa simples e rápida. Muitos itens precisam ser estudados até que se monte uma estratégia aplicável no mercado. Não podemos negar que ela é fundamental para desenvolver ações com mais chances de darem certo, não é mesmo? Afinal, o planejamento é que vai orientar todas as etapas posteriores, como execução e mensuração.


Não é pelo fato de se construir um planejamento de marketing voltado para a internet que as coisas se tornam menos difíceis. O processo é parecido com qualquer planejamento de marketing tradicional, o que difere são os itens estudados dentro de cada estágio. Ex.: A respeito dos canais de comunicação a serem usados, serão avaliados opções como redes sociais, blogs e e-mail em vez de televisão, rádio ou revista.

Vamos listar como ocorre cada etapa na elaboração de um planejamento de marketing digital e trazer alguns exemplos práticos:

Analise o seu mercado

Para iniciar o planejamento de marketing digital é importante diagnosticar a situação do ambiente em que sua empresa está inserida. O objetivo é que você conheça as limitações do seu empreendimento no mercado, descobrir o que pode, ou não, funcionar e evitar que estimativas fora da realidade sejam criadas. Dentro desse ambiente estão incluídos todos os fatores que influenciam de alguma forma o funcionamento do seu negócio.

Essa avaliação cobre elementos internos, os quais sua empresa possui maior controle e interferência, como funcionários, atuais e potenciais clientes, defensores da marca, fornecedores, concorrentes e revendedores. Envolve também fatores externos, aqueles que sua empresa pouco pode influenciar, como a economia local e nacional, as leis, aspectos culturais, naturais, demográficos e tecnológicos.

Exemplo:

Suponhamos que você trabalha numa empresa que vende materiais escolares para varejistas e quer abrir uma loja virtual para atender o consumidor final. No planejamento você percebe que na sua região o número de pessoas conectadas à internet cresceu 20% no último ano e tende a aumentar mais 30% nos próximos 12 meses. Enquanto que o número de alunos matriculados em escolas e universidades cresceu em torno de 15% nos últimos 18 meses.

Se a intenção seria começar a fazer entregas para o público próximo ao centro de produção e aumentar a presença nos pontos de venda, esse diagnóstico é muito importante para gerar uma expectativa mais real sobre o potencial de produção e comercialização das suas mercadorias.

Conheça a sua persona

O próximo passo é definir as características do consumidor ideal para a sua empresa. A ele damos o nome de persona ou buyer persona. Sua importância está em nortear todo o planejamento, e, por consequência, a execução das tarefas e a mensuração delas.

Em uma persona estão reunidas as características mais comuns em seus clientes. Eles possuem nome, idade, profissão, dificuldades no trabalho, problemas pessoais, objetivos e sabem como sua empresa pode ajudá-los.

Por exemplo, se você possui uma loja virtual que vende roupas de moda masculina, uma de suas personas pode ser representada e resumida pelo consumidor Roberto, de 34 anos, divorciado, dono de um pequeno negócio local, com pouco tempo para ir em shoppings, decepcionado com a qualidade de roupas compradas em experiências anteriores e desconfiado com a segurança de alguns e-commerces.

Ele sabe que sua empresa irá auxiliá-lo se demonstrar claramente as características que ele mais sente falta: confiança, qualidade e segurança.

Pesquise e analise

A internet facilita esse processo de pesquisa para conhecer as suas personas. Se você já possui uma base de cadastros feita por meio de compras virtuais (clientes) ou gerando leads (consumidores em potencial), parte do trabalho já foi feito. O próximo passo é entrar em contato com essas pessoas, seja por redes sociais, e-mail, telefone ou entrevistas pessoais. Faça perguntas que levantem informações sobre vida pessoal, trabalho, problemas, objetivos, hábitos de consumo de informação e comportamento de compra.

Após as entrevistas deve ser feita uma análise dos dados obtidos. Separe as informações fornecidas com mais frequência e comece a montar um perfil a partir dessas características. Esqueça o “eu acho” e nem crie personas demais para não perder o foco.

Daí em diante é só construir sua estratégia de acordo com a sua buyer persona. Nessa etapa a pergunta “Como isso poderá melhorar a vida da persona X e a relação da empresa com ela?” será facilmente respondida se você definiu bem esse cliente ideal.

Estude a concorrência

Você anda visitando os sites dos seus concorrentes? Já procurou interagir com os perfis deles nas redes sociais? Tentou ou já realizou uma compra em suas lojas virtuais? E o suporte do atendimento, você já chegou a entrar em contato? São questões que demonstram bem as particularidades da análise de concorrência no marketing digital.

Esses são alguns dos itens avaliados. Eles são importantes para você diagnosticar os pontos fracos e fortes, oportunidades e fraquezas dos seus concorrentes. Faça comparações entre eles e com a sua empresa. Veja o que você tem de melhor e o que pode ser aperfeiçoado para superá-los. É um monitoramento que deve ser frequente, pois no ambiente digital muitas mudanças ocorrem – como entrada de novos players no mercado, por exemplo.

Essa etapa também é imprescindível para definir o seu posicionamento e estabelecer os diferenciais que você tem a oferecer para o mercado. Assim, você estará mais preparado para elaborar uma estratégia otimizada, explorando os valores que darão um ganho competitivo para sua empresa em relação à concorrência.

Estabeleça indicadores

Aqui está um dos grandes diferenciais de um planejamento de marketing digital. Na internet é possível mensurar quase tudo que seja relevante para uma empresa. São tantas métricas que é necessário um certo critério para definir quais de fato farão diferença em sua estratégia.

Não é difícil achar quem ostente número de curtidas, de seguidores ou de visualizações em vídeos. Esses são exemplos de indicadores que pouco irão interferir no número de vendas e nas receitas geradas. Os KPIs (Keep Performance Indicators), ou indicadores chave de performance, normalmente servem para analisar o desempenho de estratégias, as quais visam direta e indiretamente o lucro da empresa.

A importância e a eficiência dos indicadores estão no alinhamento com os objetivos e metas traçados no planejamento. Ex.: Não adianta definir que sua empresa precisa gerar 10.000 leads qualificadas em 12 meses se ficar contando número de seguidores no Twitter.

Exemplos de KPI:

Quantidade de clientes adquiridos, Ticket médio, Custo por aquisição de cliente (CAC), Retorno sobre investimento (ROI), Custo por lead (CPL), Leads gerados, Taxa de conversão e Taxa de rejeição (% de clientes que não voltaram a comprar com sua empresa).

Existem os indicadores relevantes para as empresas que focam sua estratégia nas mídias sociais, como compartilhamento de conteúdo, engajamento e menções de marca.

E assim encerramos este estudo sobre as principais etapas de um planejamento de marketing digital. Vai dar um pouco de trabalho, mas o esforço valerá a pena. Fazer qualquer ação na internet sem um planejamento é como dar um tiro no escuro esperando acertar o alvo. Ao colocar em prática nossas orientações, você estará mais preparado para criar estratégias acertadas e que tragam mais resultados para sua empresa.

Leia também:
Conheça os diferenciais de uma Agência de Performance

Leia Também:

Black Friday 2017: Dados valiosos para sua estratégia

Website | + posts