Google Analytics como estratégia para e-commerce

Google Analytics é uma ferramenta muito útil para o acompanhamento de sites de e-commerce (ou lojas virtuais) e se torna uma poderosa fonte de informação quando usada para analisar estrategicamente o site.

Se bem configurado, é possível acessar informações sobre, por exemplo, vendas de produtos, receita, dados sobre a conversão, faturamento médio por transação, tendências de navegação no site, enfim, sobre o comportamento do consumidor no e-commerce.

Compilamos algumas dicas de casos em que o Google Analytics pode ser usado para ajudar o e-commerce a obter mais sucesso nas conversões:

Conversão:

Analisar:
Receita por Palavra-Chave: pode-se usar um relatório personalizado para identificar quais palavras-chave estão gerando mais receita, quantas vendas e quanto de receita cada palavra-chave está trazendo. Saber quais são as palavras-chave mais lucrativas permite definir o foco para campanhas e trabalhar para melhorar a conversão com as outras palavras-chave.

Receita por Landing Page: verificar quais landing pages trazem mais conversões e lucro possibilita investir em campanhas focadas nelas e pensar em uma estratégia para melhorar as páginas que não obtêm tanto sucesso.

Fontes de tráfego:

Analisar:
Dispositivo usado para acessar o e-commerce: Se uma quantia significante de usuários de um site de e-commerce provém de dispositivos móveis, talvez seja interessante investir em criar um app ou site para mobile. Adaptar-se a como os usuários acessam os produtos pode facilitar as compras para eles e gerar mais conversões.

Participação de Visitas e Transações por Fonte: pode-se verificar quais as fontes que geram mais visitas ao site, cruzando com dados de transação e receita de cada uma delas. Principalmente quando se fala da análise específica de campanhas, esta análise permite que se tenha uma visão do Retorno do Investimento. Verificando, também, as fontes específicas que possuem maior taxa de conversão, pode-se trabalhar as demais de forma a otimizá-las.

Visitas provenientes de redes sociais: com o tracking de social media do Google Analytics pode-se prestar atenção em qual página e quais produtos foram compartilhados e indicar quais produtos são populares, mesmo que não estejam vendendo bem. Por exemplo, se um produto é o mais compartilhado nas redes, mas não é o item que mais vende, pode-se tentar descobrir por que os usuários estão interessados mas não estão comprando.

Saída do site:

Analisar:
Taxa de Rejeição: Uma alta taxa de rejeição pode indicar que o site pode estar com problemas de design ou usabilidade, ou ainda que as palavras-chave que trazem usuários ao site não correspondem ao que eles encontram nele. Uma opção é repensar as landing pages ou mudar os anúncios para refletir melhor o conteúdo da página.

Páginas de Saída: mostram por onde seus usuários estão deixando o site. Com isso, é possível ver quais páginas precisam ser substituídas ou melhoradas para aumentar a taxa de conversão e vendas, e reduzir o “abandono” do site.
Se foi possível perceber que muitos usuários chegam ao carrinho de compras, mas não convertem, o gargalo pode estar no checkout do site. O YouTube do Google Analytics apresenta com humor as dificuldades que um usuário pode encontrar na hora de finalizar a compra e que podem fazê-lo desistir:

 

Outras dicas:

Configure Acompanhamento de Eventos para saber ações interessantes dos usuários que não necessariamente geraram uma conversão ou que não incluem clicar em um link, por exemplo ver quantas vezes um PDF foi baixado ou quantas vezes o botão de play foi clicado em um vídeo.

Use Segmentos Avançados, que permite comparar diferentes grupos de usuários – por exemplo, comportamento de usuários mobile vs não mobile ou usuários proveniente de busca orgânica vs campanhas patrocinadas.

Altere os períodos de tempo para a análise (por hora, dia, semana, mês) para ver tendências. Os usuários visitam mais o site durante as horas de trabalho? A taxa de conversão é maior em finais de semana? Os dados podem ser úteis para escolher quando lançar uma campanha, fazer manutenção no site, etc., para maximizar ou minimizar o impacto nos usuários.

Tecnicamente falando…

Por Fernanda Kunzler, Analista de Web Analytics da Global AD

“O Google Analytics é uma ferramenta gratuita de acompanhamento de métricas que permite que dados de comportamento de navegação e acessos de um site sejam coletados para posterior análise. Para configuração simples da mesma, deve-se criar uma conta e posteriormente realizar implementações no código do seu site que permitirão que os dados sejam coletados.

Visando a análises mais detalhadas, como aquelas de informações de receita ou de interações nas páginas, é necessário uma configuração um pouco mais avançada e requer mais cuidado para garantir que os dados sejam corretamente coletados e não venham a atrapalhar a análise das métricas. Depois de configurado todo o registro do site, basta acessar a ferramenta e fazer avaliações como aquelas descritas aqui. Apenas uma lembrança válida: para uma análise mais efetiva, o importante é preocupar-se com comportamentos gerais e tendências, pois são estas as visões que possibilitarão uma compreensão maior do comportamento do consumidor no e-commerce e a sua consequente otimização.”

 

Website | + posts